segunda-feira, 16 de abril de 2012

A NOITE DAS FLORES III




Ainda na memória o amor me escrevia
Na pele riscava-se risonho ao toque da poesia.
E assim, sem saber quem eu era, se outono ou
Primavera, ofertou-me todas as outras flores!
O vento convenceu-me que eu voaria, lúcida!
O tempo confortou-me fez-me quase lívida!
Tantos os meus desejos suspiros...meus ais,
Em que a noite me coroava
E aquele fascínio corava
A face que  se desvelava em busca dos teus lábios...
Desses predicados carnais...
Nos torpores dos nossos amores
Das íntimas e intensas notas florais...

Um comentário:

  1. Miriam, gosto dos seus textos...
    A memória sempre guardam as boas recordações!

    ResponderExcluir